CORREÇÃO ORELHA ABANO (OTOPLASTIA)

CORREÇÃO ORELHA ABANO (OTOPLASTIA)

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

otoplastia ou correção de orelha de abano, é realizada para correção das deformidades presentes na orelha proeminente, pode ser realizada por meio de várias técnicas efetivas, que esculpem e modelam a cartilagem da orelha, reposicionando–a na posição correta.

A presença de orelhas proeminentes, ou orelhas em abano, decorre de uma alteração do formato, do relevo e/ou da angulação da orelha em relação ao crânio. É uma deformidade do desenvolvimento da orelha, e está intimamente ligada a fatores hereditários.

A cicatriz resultante do procedimento fica posicionada no sulco presente atrás da orelha e tem boa qualidade estética nos pacientes sem problemas de cicatrização.

Podemos realizar esta cirurgia a partir dos 6/7 anos de idade, quando a criança já apresenta um grau de entendimento adequado sobre o procedimento e está em fase escolar, onde fica suscetível aos apelidos dos colegas, o que gera desconforto psicológico e dificuldade de interação social. Na criança, o procedimento é preferencialmente realizado com anestesia geral, e no adulto, com anestesia local ou anestesia local e sedação. O resultado já é visto logo no pós-operatório, porém a orelha permanece inchada por algumas semanas, sendo que consideramos o resultado final após 6 meses de pós-operatório.

 

Anestesia

Nas cirurgias de orelhas as modalidades anestésicas mais utilizadas são a anestesia local e sedação e a anestesia geral.

Cicatriz

A cirurgia de correção de orelhas em abano apresenta cicatriz bastante camuflada na regiã posterior da orelha.

Cuidados

São necessários cuidados com a troca de curativos, uso de medicamentos como antibióticos e analgésicos, acompanhamento e retornos periódicos.

Pós Operatório

O paciente poderá realizar a maior parte de suas atividades cotidianas, edemas (inchaço) e equimoses (roxos) são comuns na fase inicial da cirurgia. O aspecto final da região operada geralmente se apresenta com 6 meses a 1 ano de pós-operatório.

 

Entre em contato: