GLUTEOPLASTIA DE AUMENTO (CIRURGIA DO BUMBUM)

GLUTEOPLASTIA DE AUMENTO (CIRURGIA DO BUMBUM)

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

A Gluteoplastia de aumento (Cirurgia do bumbum) é indicado para pacientes que necessitam de volumes moderados/grandes, onde não é possível melhorar o contorno somente com lipoenxertia.

O aumento do volume dos glúteos e a melhora do contorno da região glútea podem ser alcançados com a inclusão de implantes de silicone e/ou com a enxertia de gordura (lipoenxertia) do próprio paciente (popularmente conhecida como lipoescultura).

O implante glúteo é colocado através de uma pequena incisão no sulco interglúteo, no plano intramuscular.

A cicatriz resultante geralmente é de boa qualidade e pode ser ocultada pelos trajes íntimos ou de banho. A lipoenxertia é realizada quando a paciente apresenta depósitos de gordura em outras regiões do corpo, e após a lipoaspiração destas áreas, a gordura é aproveitada para a injeção na região dos glúteos, melhorando seu contorno e aumentando o volume.

A anestesia pode ser geral, bloqueio peridural, raquianestesia, e todos os cuidados pós-operatórios são orientados pela equipe médica e de enfermagem.

 

Anestesia

Nas cirurgias de gluteoplastia de aumento as modalidades anestésicas mais utilizadas são a anestesia local e sedação, anestesia peridural e sedação e a anestesia geral.

Cicatriz

A cirurgia de gluteoplastia de aumento utiliza uma incisão na região do sulco interglúteo (sulco entre as duas nádegas), sendo bastante discreta e coberta pelo vestuário. É sempre importante lembrar que quelóides e cicatrizes inestéticas podem ocorrer independente da técnica cirurgica correta.

Cuidados

São necessários cuidados com a troca de curativos, uso de medicamentos como antibióticos e analgésicos, acompanhamento e retornos periódicos.

Pós Operatório

O paciente poderá realizar a maior parte de suas atividades cotidianas, edemas (inchaço) e equimoses (roxos) são comuns na fase inicial da cirurgia. O aspecto final da região operada geralmente se apresenta com 6 meses a 1 ano de pós-operatório.

 

Entre em contato: